quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Season finale

Há cerca de um ano, nessa mesma época, eu estava ansiosa. Estava sendo comida pela incerteza do que estava preparado para o próximo ano. Havia decidido ser aupair, havia contado para minha chefe,meus amigos,  meus pais, meu namorado, etc. A incerteza do meu futuro, do meu sucesso aqui, me corroia por dentro. As sensações de "Será que fiz a coisa certa?" "O que vai ser de mim?" não me deixavam dormir. Eu tinha uma vida muito boa, era feliz e estava crescendo. Por que então quis interromper tudo isso?
Naquele momento não tinha respostas, era meu "final de temporada" e como todo final de temporada, terminou em suspense, pois as respostas só chegariam  com os episódios seguintes.
Logo que cheguei aqui, nas minhas primeiras semanas já me arrependi da escolha feita. Não precisava disso. Não queria estar longe, não gostava dos hábitos, não gostava das pessoas. Mas continuei, tinha que buscar as respostas paras questões que nem tinha. Depois de um tempo essa incerteza e dor deu lugar a euforia, queria provar tudo, ver tudo e tocar tudo. Nesse meio tempo acabei esquecendo de mim mesma. Tentei ser alguém que não era, ter amigos que não eram meus e, lógico, não deu certo.
Depois de algum tempo o arrependimento voltou, o que fazia aqui? de que valia tudo isso? voltava a questionar mais uma vez. Dai, para o momento que em me encontro, muita coisa passou. Nesse meio tempo, fiz novas amizades, perdi algumas (ainda que não tivesse me dado conta disso no momento), conheci lugares incrivéis e outros nem tanto, me conheci um pouquinho mais, fui magoada e também magoei. Alguns, confesso, nem me importo em ter magoado, mas outros me arrependo até o ultimo fio de cabelo.
É engraçado esse negócio de arrependimento, muita gente enche a boca pra falar: "Não me arrependo de nada do que fiz". Tenho pena dessas pessoas, porque de duas uma: ou mentem e não são maduros o suficiente de adimitir que se pode errar e  aprender com o arrependimento, ou não fizeram nada de interessante com a própria vida.
Eu me arrependi de muita coisa aqui, tempo perdido com pessoas que não mereciam, viagens e gastos desnecessários, infantilidade, inconsequencias, preguiças, etc. Mas me orgulho de muita coisa também. E por mais que tenha ganhado um ano de saudade, um ano de sofrimento que não tinha, um ano de solidão e uma divida enorme no final do percurso, saio daqui feliz (e muita gente não consegue entender isso).
Feliz porque tive uma das experiências mais incriveis da minha vida no último fim de semana, feliz porque fiz amigas (quando já achava que não era possível) que vou levar para vida inteira. Feliz porque tive minha epifania e descobri o que já era obvio - ainda que tenha sido necessário passar por tudo isso para ter certeza. Parece cliche terminar a temporada com romance, ainda mais sendo eu a menos romantica das romanticas, mas é assim que essa termina. Meu saldo final, mesmo com as lagrimas e a divida, foi confirmar aquilo que sempre soube mas que ainda não tinha coragem para escancarar: tenho o homem da minha vida e ele me ama! E, por isso, de verdade, não me importo com mais nada.
Se conseguirei pagar o que devo, provavelmente sim. Se o homem da minha vida vai continuar comigo, espero que sim! No fim das contas, isso não importa agora, é assunto pra próxima temporada, pois essa, termina aqui!





4 comentários:

Eder Ferri disse...

Eu tenho algumas coisas pra dizer mas, provavelmente, não vou (ainda não sei o que fazer com as palavras).
O lance é que acho bacana vc ter aprendido com suas experiências e garanto que muita gente espera anciosamente pelo seu retorno.
Pode ter certeza que tudo vai dar certo e, enfim... não era nada disso que eu queria falar, mas o lance é aprender com os próprios erros e essas coisas que parecem ser bestas mas, na realidade, fazem todo sentido...
Com certeza você é, hoje, muito mais do que era há 1 ano atrás.

"Conversou e riu sem hora pra voltar
Sem hora pra acordar
Aproveitou o dia
Formas geométricas pra se enxergar
Sob outra ótica
Cruzaram a galáxia.
Janeiro já ta quase aí
Sereno, confiante e cheio de si
Te bastam a noite, o dia, e o seu ir e vir
Saúde e simpatia no que há por vir"

Paz e mente aberta!

Valeria Silva disse...

Brigada =)
Quero muito te ver quando voltar.
De verdade!

Vanessa disse...

Parece uma sensação de missão cumprida, de superar-se a si mesma, de saber que pode sobreviver a muita, e isso nos faz mais fortes, embora, às vezes, a gente ache que não precisava ser tão dolorido, né?
A vida, me parece, é feita de ciclos, e parece q vc está encerrando um fazendo um balanço. O bom, é perceber a sua maturidade em perceber as coisas, e não só as coisas externas, mas as internas, pois tem gente que corre o mundo, mas não se "corre", não se olha, não se percebe, e talvez passem mesmo a vida assim, sem olhar, sem saber que erramos sim, muitas vezes, aliás, é o que mais fazemos na vida, mas aprender com erros é tb ser mais tolerante consigo mesma e com os outros...
É, como vc, acho que também me arrependo de tanta coisa, ah, se pudesse voltar...
Eu me emocionei com suas declarações de amor, confesso até que senti um pouco de inveja...kkkk...no bom sentido, claro, nunca tinha te visto assim....
Enfim, acho que teremos muitas coisas para conversar, e espero que nossas mudanças, digo "nossas" pq tb foi um ano de mudanças bem bruscas na minha vida,possam nos aproximar ainda mais...

Lov u beibe...

Saudades e Besitosss

Larissa disse...

E é sempre assim que termina: depois de tropeços e tombos, um salto para levantar para o infinito!
E saiba que daqui pra frente nada mais pode te impedir de alcançar o mundo todo. O que vc ganhou esse ano vale pra toda a vida. Se arrependa, sinta saudade, chore, lembre das coisas com carinho, pague suas dividas e seja feliz! Agora vc já sabe o caminho!

=D