sábado, 8 de maio de 2010

Lembraças alimenticias e o brunch

Toda vez que tenho saudades do Brasil (o que é quase todo dia) há sempre um pensamento alimenticio que permeia minhas lembranças. Não consigo pensar na minha casa e não lembrar dos torresminhos da minha mãe. Prazer suicida esse, mas que vale cada minuto de vida perdido e cada porcentagem ganha de colesterol.
Não consigo pensar no Chuchu e não lembrar de macarrão a bolonhesa, macarrão com atum, macarrão com frutos do mar, bife acebolado e milhares de outras refeições que já fizemos ( ou compramos) juntos. Quando penso no Guilherme lembro de sushi,  de cachaça, lembro do peixe da mãe dele  e do sashimi do pai. Quando lembro da minha irmã Aline lembro de macarrão à pizzaiolo, sempre que penso na  Jessica.. lembro... lembro... lembro  dela me pedindo para fazer alguma coisa para ela comer.
Há pessoas que estão tão diretamente conectadas a alimentos, seja pelo costume de faze-los, ou pelo fator regional, que as conexões ficam óbvias:  minha vó Otilia e o mousse de maracuja, Giovana e o pão de queijo, Dani e a Tapioca, Ingrid e o lanche do Trem Bão. Outros que a conexão só faz sentido na minha cabeça, como a Tati e o Quiche de alho poró, Vanessa e o Nescafé. Outros ainda que, de tão estranhos, chegam a ser engraçados, como Yuri e pão com ovo e a  Karina e suco Tang.  
Mesmo pessoas com as quais nunca tive muita intimidade culinária e/ou até profundidade afetiva tenho refeições para lembrar. Nem vou dizer de quem me lembro quando como, ou preparo,  uma paella, né.
Existem refeições que, ainda que simples, são capazes de reviver uma instituição, um momento ou uma época. Teria vários exemplos para colocar aqui - o salgado do PQ e a faculdade, o lanche do Doto e o CCAA, o chocolate suflair e a quase briga na oitava série, etc, etc - mas me prolongaria muito.
O interessante de toda essa reflexão, e o ponto ao que quero chegar, é que já consigo imaginar o que me fará lembrar do momento em que me encontro hoje.
 Sei que toda vez que comer comida mexicana e/ou italiana me lembrarei dos Vitro. Quando comer frozen yogurt me lembrarei do Nick, quando comer cookies da Jenny, peanut butter com geleia  da Madison, quando comer qualquer "snack" me lembrarei da Libby. Não serão os hamburguers, as batatas fritas e os dounuts que me lembrarão America, é o mocha, o ovo mexido e o bacon já citado, as panquecas com syrup, o cinnamon roll, as "berries",enfim,  o brunch!
Ah.. que saudades sentirei do brunch.
Depois me pergunto o porquê de ter engordado quase um quilo e meio desde que cheguei... a resposta que darei a partir de agora sobre esse questionamento estético será apenas uma: é que estou cheia de lembranças.

3 comentários:

ApareCido disse...

É uma gordinha de mão cheia mesmo...

TatiGirl disse...

Linda, primeiro que de fato, eu amo qualquer coisa que tenha alho poró; segundo que de fato, Yuri tem cara de pão com ovo! kkk

Então, aproveite muito essas novas lembranças, e volte com um álbum de fotos sob a forma de caderno de receitas! :)

Raquel Silveira disse...

muito bom seu post, beijos :*